segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O CRUZEIRO DAS ALMAS


Olá Irmãos de Fé! 

Geralmente encontramos dentro dos cemitérios, que na Umbanda conhecemos como Campo Santo ou Calunga Pequena, o Cruzeiro das Almas. 

Este ponto ficou conhecido como referência para que as pessoas acendessem velas em lembrança e homenagem para as pessoas que ali foram enterradas em um ritual para que suas almas sejam encaminhadas e cuidadas pelos Espíritos de Luz, trabalhadores amorosos de Deus.

Infelizmente também presenciamos em alguns Cruzeiros “trabalhos” de ordem negativa, que passam ao largo do conhecimento da pessoa que o fez, o sentido religioso e ético que este ponto de forças tem dentro da Umbanda. A Umbanda é Luz e sua ação é de total respeito ao livre arbítrio de cada um, portanto definitivamente não fazemos nenhum “trabalho” negativo!


O Cruzeiro das Almas é uma passagem, um portal onde o espírito passa de um plano vibratório, para outro como: no momento do desencarne, nas passagens de um estado de doença física ou emocional, uma obsessão complexa ou mesmo simples, mágoas, ódios, rancores e todo sentimento de ordem negativa para uma situação de cura, equilíbrio e harmonia.

Encontramos nos Terreiros, Centros, Tendas ou Templos Umbandistas sempre um "Cantinho das Almas" ou o Cruzeiro das Almas. Muitas vezes, um Guia de Luz nos dá uma vela branca e nos pede para firmá-la nesse local. 

Aí logo imaginamos que estamos acompanhados com eguns, quiumbas ou algum espírito sofredor, mas nos esquecemos que tal qual no Campo Santo, ali também é um ponto de transformações inerentes a vibração de Omulu o senhor das Almas e das passagens, e muitas vezes a "vela" não é para os outros que possam estar nos obsediando, mas sim, para nós mesmos, para podermos com a ajuda de Omulu transmutarmos algo de ruim que ainda não estamos conseguindo sozinhos resolver dentro de nós.


Lembramos ainda que o Cruzeiro das Almas de um Templo Umbandista também tem a função de proteger a Casa de ataques de seres infelizes, vampiros espirituais, como no Campo Santo é feito.

Logo, nada tem a ver um Cruzeiro das Almas com azar ou chamamentos da morte, isso é fruto de crendices e gente infelizmente ainda mal informada dentro e fora da Umbanda. 

Lembramos que o Cruzeiro das Almas é um ponto de luz e que devemos sempre quando nos dirigimos à ele devemos proceder como fazemos em qualquer outro campo de força de atuação vibracional dos Orixás, é primordial o respeito, o bom senso e principalmente,  acima de tudo Fé! 

Atotô meu Pai!


Nenhum comentário:

Postar um comentário